Gibson acusa ‘Guitar hero’ de quebra de patente


A fabricante de guitarras Gibson tenta impedir a venda do jogo "Guitar hero", da produtora Activision, por quebra de patente. Em 1999, a Gibson registrou um dispositivo de realidade virtual que incluía fones de ouvido e simulava a participação do jogador em um concerto de rock. Ela exige que a Activision licencie seu jogo com essa patente.

"A Gibson é uma boa parceira e nós os respeitamos muito. Discordamos quanto à aplicação dessa patente, e gostaríamos que a Justiça determinasse se ela procede", afirmou George Rose, diretor jurídico da Activision, em comunicado.

A Gibson, cujas guitarras elétricas são usadas por lendários artistas de blues e rock como Eric Clapton, B.B. King e Slash, vem sendo uma parceira de destaque nos jogos "Guitar hero", para os quais a Activision licencia o direito de produzir controles com a forma de guitarras da empresa, e de usar as imagens desses modelos nos jogos.

A disputa começou em janeiro, quando advogados da Gibson enviaram um comunicado à Activision acusando a empresa de violar a patente chamada "sistema e método de geração e controle de um concerto musical simulado".

A patente descreve um dispositivo que permite ao usuário "simular a participação em um concerto tocando um instrumento e usando um acessório preso à cabeça que inclui saídas de som". A patente ainda descreve o uso de áudio e vídeo de shows gravados previamente para acompanhar a apresentação do jogador.


Em "Guitar hero" o jogador usa controles de plástico em forma de guitarra para tocar músicas representadas por bandas virtuais na tela. Os botões no controle correspondem às notas das músicas, enquanto animações mostram uma banda tocando em um palco. Em 2007, o jogo ganhou um concorrente: "Rock band", da Electronic Arts, que utiliza o mesmo sistema de simulação e ainda acrescenta instrumentos como bateria e microfone.


Não é a primeira vez que "Guitar hero" é citado em casos de quebras de patentes e direitos autorais. Em novembro de 2007 o grupo Romantics entrou com uma ação contra a Activision, acusando o jogo de usa uma versão cover da música "What I like about you" "muito semelhante" ao hit original dos anos 80.



"Guitar hero" foi lançado em 2005 e já teve quatro versões (incluindo o pacote com músicas dos anos 80 para o PlayStation 2). Segundo a Activision, "Guitar hero III – The legends of rock" foi responsável por impulsionar os lucros da empresa em 90% no período encerrado em dezembro.

0 Comentários

Opera GX não tem pra Linux (mas isso nao faz diferença!)

 Opera GX tem alguns recursos muito interessantes, como  o controle GX . Que são uma série de utilitários  com os quais você não precisa fechar programas para obter mais desempenho da máquina direcionando recursos para outro software. No lugar disso,o GX Control você pode escolher quanta RAM, quanto tempo de CPU e quanta rede o navegador terá disponivel. Assim,  largura de banda, recursos de memória e CPU  destinados aos jogos não seriam prejudicados. E você pode pensar ... o Opera GX existe para o Linux ? (Claro que não tem!) Mas tudo bem, fazer esses ajustes no GNU / Linux você não precisa do GX Control, ele se vira com o que tem. O seu terminal ! Vamos lá ! Limite a largura de banda: Para limitar a largura de banda ou o uso da rede que um processo ou programa faz em seu Linux, também existem várias opções. Um deles é usar o programa trickle, outro é o wonderershaper. Você deve instalar os dois pacotes, pois eles não são pré-instalados nas distros por padrão. Quanto ao uso, você pode