sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

ISDB-T 0 X Emissoras 1

O governo federal editou uma norma que proíbe redes comerciais e emissoras públicas estaduais de aderirem à multiprogramação usando o sinal da TV digital. A informação é da coluna de Daniel Castro, publicada nesta sexta-feira (27) pela Folha --a íntegra está disponível para assinantes do UOL e do jornal.

Com isso, essas emissoras ficam proibidas de transmitir quatro programações diferentes no mesmo espectro (em definição "standard"), possibilidade prevista no sistema nipo-brasileiro de TV digital.

Grande parte das emissoras comerciais era contra essa ferramenta --a Globo era uma delas. "A TV aberta sobrevive de publicidade --essa não sabe se é analógica ou digital, quem sabe é a gente. Nós não temos dinheiro novo na TV digital. Então, se você assumir a multiprogramação, significa que o dinheiro que a gente tem é o mesmo para produzir mais de um, dois programas", afirmou o diretor de engenharia da emissora carioca, Fernando Bittencourt, durante fórum realizado no Rio no ano passado.

Já a TV Cultura tinha planos com a multiprogramação, para usar o maior número de canais disponíveis para a transmissão de telecursos ou programação específica para certos segmentos da população, como os jovens. A medida impede que a emissora leve esses planos adiante.

Poderão usar a multiprogramação apenas os canais consignados a órgãos e entidades integrantes dos poderes da União. "Ou seja, apenas TV Brasil, TV Senado, TV Câmara e TV Justiça poderão se dividir em quatro canais --a TV Senado, por exemplo, poderá transmitir simultaneamente sessões de comissões e do plenário"

Agora numa boa ...
Se a multiprogramacao era uma das maiores vantagens desse sistema de HDTV no Brasil, como é que eles tiram assim a funcionalidade que pediram ? Realmente emissoras de TV no Brasil mandam mais que o interesse da populaçao.

2 comentários:

Anônimo disse...

RIDÍCULO.

Poderiam muito bem ter simplesmente duas ou mais grades diferentes de horário com a mesma programação, que aumentaria a audiência, sem o custo de produzir mais, só o custo técnico de ter essas "duplicatas" sendo exibidas.

Além de que, a globo mesmo tem os vale a pena ver de novo da vida. Seria bastante interessante, por exemplo, ter um filme bom ao mesmo tempo "concorrendo" com a própria novela, assim mesmo que perca a audiência da novela, não perde ao todo.

São quatro (se não me engano) canais a mais para vender anúncio, estão jogando dinheiro fora. Idiotas.

internet100 disse...

Vejo assim, as emissoras já tem poder e querem mais poder ainda.

Em primeiro lugar, aqui em porto alegre, há dezenas de rádios e um monte de canais de tv, eu diria que tantos ou mais que são paulo ou outro lugar grande.

Das radios, tem umas 10 que pertencem ao grupo pampa, e umas 8 que pertencem à RBS (afiliada da globo).

Os canais de tv abertos, também tem disto. Na tv a cabo, tem os tais canais globosat, tem o canal viva que só retransmite programas do passado da globo.

Mas vamos direto ao ponto! a RBS aqui possui o canal 12 (RBS TV) e 36 (TV COM), que poderiam simplesmente serem transmitidos juntos digitalmente, ocupando menor faixa no espectro, abrindo espaço para outros canais, mas não, preferem separado, pois assim possuirão maior número de canais.

De fato é uma vergonha, pior que isto, só a implantação do IBOC e do PLC que vão acabar com o dexismo no país =/